Arquivo da tag: Final de temporada

Crtl + Alt + Del = Uma surpresa, um pseudo clichê e um clichê que não deveria ser clichê, pelo bem da familia

Alovose, de toda a net.

Fiquei alguns dias sem postar nada devido a um fenômeno da sociedade conhecida como VOLTA DAS FÉRIAS, e como todo bom trabalhador do setor escravista, digo, comerciário, esta semana foi algo totalmente surreal para mim.

Mas enfim, deixando a choradeira de lado, vou fazer um pequeno artigo rush de três séries que acompanhei da temporada passada e que fielmente assisti até o ultimo episodio.

E eis as minhas humildes e absolutas opiniões sobre eles.

 

SUISEI NO GARGANTIA – NADOU NADOU E MORREU

"Ninguem perde a cabeça aqui, pelo menos"

“Ninguem perde a cabeça aqui, pelo menos”

Quando falaram que Urobuchi iria trabalhar num gênero de mecha eu fiquei interessado em saber como seria.

E quando falaram que Urobuchi iria DESCONSTRUIR o gênero mecha eu realmente já soube o final de toda a historia.

E não foi diferente.

Gargantia começou muito bem, como uma batalha tensa em algum ponto “na puta que pariu” da galaxia entre humanos e seres conhecidos como Hideous. Depois o nosso protagonista de alguma forma quase “IMPROVISA AI PORRA” acaba caindo num planeta desconhecido coberto de agua. Ok.

Só que esse planeta é nada mais e nada menos que a antiga Terra. O local de nascimento da raça humana, considerado até então hipotética.

Well, o protagonista de alguma forma acaba sendo “resgatado” por uma enorme frota marítima conhecido como Gargantia. Uma verdadeira cidade-navio.

E ai que a historia começa.

"Sakata Gintoki?!"

“Sakata Gintoki?!”

Mas porem todavia entretanto, Gargantia se mostrou de alguma forma para mim nada empolgante. Uma boa historia, mas somente isso.

Sabe aquela sensação de que “AGORA VAI”? É. Isso mesmo.

Claro, não estou reclamando da falta de ação, pois esse é o proposito da série, ser um slice of life pós apocalypse. Mas o foda é ver gente louvando a série por ser INOVADORA nesse sentido.

Gente, o genero Real Robot já é desconstruído por natureza. Alias…

Mundo pós apocalipse? Humanidade se esqueceu da civilização anterior? Mecha com poderes descomunais? Slice of life em um real robot? Onde eu vi isso mesmo?

Ah.

"TURN A TURN, TURN A TURN, TURN AAAAAAA"

“TURN A TURN, TURN A TURN, TURN AAAAAAA”

Excelente animação. Alguns detalhes de sequencia nunca usado em um anime antes (pelo menos que eu me lembre) e uma boa trilha sonora (boa).

Ou seja. Um bom anime, mas com um planejamento para ser apenas bom. E não inovador, como muitos “entendedores” estão falando por ai. Mas foda-se. Essa é a minha humilde e absoluta e opinião.

 

ORE IMOUTO NÃO SEI O PORQUE DESSA PORRA DE TITULO SER GRANDE DEMAIS! NII – Um anime onde você NUNCA deve indicar para a sua irmã ou irmão

"Não tem como essa série terminar mais polêmica!"

“Não tem como essa série terminar mais polêmica!”

Ok.

A primeira temporada eu mal sabia que essa porra vinha de uma light novel, e eu e um bruxo meu assistíamos quase que simultaneamente ele.

Porra, a primeira temporada era uma boa serie sobre irmãos. Brigas, disputas, desentendimentos e no final, o bom e velho amor entre irmãos prevalecia.

Agora me digam.

Onde nós erramos? ONDE ERRARAM NESSA PORRA?

Ai me lembrei de uma coisa.

asians

 

Ok, calma. Respira fundo. Ok.

Então, a série no começo começou como uma forma de mostrar os conflitos e diferenças entre irmãos. Muito bom e até onde eu me lembre, nunca vi um anime com suposto tema (indiquem um ai se souberem), ai depois virou um protótipo de harém. Ok, faz parte, Jogada comercial e afins. AGORA………………………………………QUE FINAL DO CAPETA FOI AQUELE DO LIGHT NOVEL?!

Ok. Calma, respira fundo. Ok…O CARALHO.

"O casal vencedor deveria ser esse T_T"

“O casal vencedor deveria ser esse T_T”

Eu sei que ainda resta mais três OVAs para serem lançados, mas ao que tudo indica sera o mesmo o final da light novel e não um final alternativo, mas porra, mil vezes porra, eu não aceito isso.

Nada contra, eu vi Yosuga no Sora e não tive nada contra (até porque não fui pego de surpresa, já sabia do que veria pela frente), mas o que mais me traumatiza é que quem começou a ver nunca pensou que o final fosse supostamente aquele.

Um final troll.

Resumindo. Bom anime, com boas sacadas. Ainda não acabou, mas desejaríamos ver uma heroína (não odiada por metade do fandom) ser a “vencedora” no verdadeiro final (da light novel, e supostamente nos OVAs que virão).

 

HATARAKU MAOU-SAMA! – Ou como eu gosto de dizer, “O GERENTE É O REI DEMÔNIO” hohohoho

"SURPRISE, MOTAFOCA"

“SURPRISE, MOTAFOCA”

Existe séries que a gente meio que prediz que sera acima das expectativas. Mas quando essas série em questão vem do “querendo ser clichê” gênero Maou/Yushaa as coisas são um pouco mais….épicas.

Antes ficam com a melhor opening da temporada.

Ok.

O primeiro capitulo quis ser meio capenga, alias, somente eu achei a arte e animação PORCA nos primeiros capítulos, além da abertura IMPROVISADA? Enfim, a historia foi meio que me prendendo nos primeiros quatro episódios.

Num mundo alternativo, havia um Rei Demônio (Maou) que tacava o terror no mundo e a Heroina (Yushaa) que lutava contra o capiroto.

Pois bem. Ai numa dessas tretas, ambos acabam caindo através de uma fenda no espaço-tempo-campo AT e acabam parando no NOSSO mundo.

WOW. Meio clichê, non?

Mas a questão é que o Maou decide VIVER nesse (nosso) mundo e conquistar ele a base de seu……emprego de meio turno numa lanchonete. E ai começa toda a encrenca slice of life/comédia/ação/fantasia.

Baseado numa light novel, eu achei a historia bem dinâmica e totalmente atrativa. Geralmente adaptações desse nicho acabam sendo meio arrastadas (Index cof cof cof), mas isso não acontece (parcialmente aqui). Apesar de ter uns fillerzinhos ou outros (mas que estão na novel).

Devo dizer que foi de fato a melhor surpresa da temporada e de longe, o meu anime favorito da mesma. É amigos, por essa eu não esperava.

Vale ressaltar as poucas, mas destruidoras batalhas, como as vistas em Munto.

Muito “dragon ball” a porra.

Alias, o final “filler” na verdade é o final do volume adaptado da light novel. Logo, seus argumentos são totalmente inválido.

 

TERMINANDO

Espero da próxima vez não fazer uma impressão final tardia, mas foda-se, eu trabalho, ok? Agora, bora começar as novas series (já comecei algumas), mas já adianto que essa temporada esta uma PORRA DE TÉDIO. Prevejo drops em massa.

A ultima foi bem melhor =[

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Finalizando

VALVRAVE – A gente sabe o que vocês fizeram aqui

"Mechas + vampiros espaciais + triangulo amoroso + wtf"

“Mechas + vampiros espaciais + triangulo amoroso + wtf”

Era uma vez um escritor que tinha Code Geass no currículo, ai ele resolveu botar pra fuder e criar um anime de mecha troll. Tentou ser troll. Quiz ser troll. Pensou que seria troll. Mas não. Não foi troll.

Senhoras e senhores. Otakus e fujoshis.

VVV é na minha humilde e absoluta opinião, o maior frankstein da temporada.

O PLOT

Tá rolando umas tretas tensas entre os governos de Dorussia e Arus. Aquelas tão tensas que até uma colonia neutra, que aparentemente não tinha nada a ver com o barraco todo, Jior, leva ferro do nada.

Bom, ai quando os “branquinhos” invadem Jior, eles descobrem que a nação neutra na verdade estava desenvolvendo um novo tipo de mobile suit, quero dizer, man machine, digo, knightmare, opa, evangelion, não digo, robôs mesmo, chamado como Valvrave.

Claro que de alguma forma, os incompetentes “branquinhos”, que pensam ser uma imitação barata do Solid Snake, deixam o Valvrave escapar e de alguma forma, totalmente imprevisível, um estudante acaba caindo dentro do cockpit do robô e acaba assumindo o controle da barca toda e começa a botar pra fuder geral.

Mas.

Não.

Espera.

Tenho a impressão que já vi isso em algum lugar.

Ah.

Gundam.

"Tendeu?"

“Tendeu?”

Mas pera ai.

Duas nações se digladiando e acabam caindo num campo neutro, que por acaso do destino, estava desenvolvendo uma arma mothafonica. Huh….

Gundam.

Ok, voltando.

Bom, no meio tempo, acontecem algumas mortes e o estudante invasior de robo, comete o erro que qualquer piloto de mecha sabe que é fatal. Sair do cockpit as ganhas, sem perceber que a barca ainda continuava pegando fogo.

Ai surge um cara de cabelo branco e dá uns pipoco no piloto! Morreu? Não, amigos.

O MALUCO VOLTA DA MORTE MEU…E TOTALMENTE MALUCO, POSSUIDO

E ainda morde o seu algoz….num ato de shipação, digo, totalmente inesperado por nossas pessoas.

OW SHIT O PILOTO VIROU UM VAMPIRO ;-;

"Nham Nham"

“Nham Nham”

E PODE TROCAR DE CORPO

Quer dizer que ele pode fazer segundos fazer o que ele quer, não?

"Gatas, faço vocês fazerem qualquer coisa sem chupar vocês, digo, o sangue de vocês"

“Gatas, faço vocês fazerem qualquer coisa sem chupar vocês, digo, o sangue de vocês”

VALVRAVE NO CHIKARA

Bom, depois dos acontecimentos do primeiro episodio, com direito a Phoenix Down num dos interesses amorosos do protagonista, a então colonia decide se separar do resto do aglomerado, e decidem se tonar autônomos no meio do tendeu espacial.

Ok.

White Base? Não.

"MAKUROSU MOTAFOCA"

“MAKUROSU MOTAFOCA”

Sabia que havia algo familiar nesse conceito.

Continuando.

As coisas vão ficando cada vez mais confusas, com:

"Triangulo amoroso"

“Triangulo amoroso”

"Uma pilota que é ídolo"

“Uma pilota que é ídolo”

"Sexo com consentimento"

“Sexo com consentimento”

E claro:

"Mechas como aparentes poderes divinos"

“Mechas como aparentes poderes divinos”

“Pow, Eden, tu é filho da puta troll mesmo né”

Quero que me entendam bem, não estou acusando de plágio a série, mas quem tem um bom conhecimento reconhecerá BEM as referencias mostradas.

Me lembro que eu tinha visto uma referencia a Eureka Seven, mas me esqueci em qual parte da série. Quem se lembrar ai, pode dizer.

Enfim.

A série também se mostrou bem no quesito “reviravoltas”, e mesmo que seja imprevisível na proposta, acaba se tornando previsível, mas mesmo assim é proveitoso algumas situações (cena do “estrupo”, huh…), pois torna a temática um pouco mais dinâmica e pouco presa, se tornando bem livre para você imaginar que diabos pode acontecer depois (alias, que porra foi aquela da viagem no tempo com a Saki, hein?).

Mas alerto, a série não tem como proposta ser original.

Como eu li em diversos cantos, Valvrave brinca com ela mesma, assim como Tengen Toppa Gurren Lagann fez, só que esse ultimo se elevou a patamares cósmicos.

Personagens? Bem, tem vários legais. O L-Elf me lembra uma mistura de Lelouch com Snake. O cara é foda, mas lamenta-me a shipação que ocorrera entre ele e o Haruto, o estudante-piloto-protagonista que come (no “bom” sentido) a Saki num surto vampiresco. Shoko é bem legal, mas prevejo um futuro nebuloso para ela.

Agora, é esperar pela segunda temporada. O final da primeira já entregou a marmelada com a “conspiração” por trás do mundo. Vamos ver aonde isso vai dar. Ou talvez a gente já sabe como tudo terminara, não é mesmo?

Ps: Isso não é um review. É apenas a minha primeira impressão do final da série, capiche?

Deixe um comentário

Arquivado em Finalizando